Parentalidade

A gestão de papéis no núcleo familiar pode ser fonte de stress e afetar  negativamente a saúde do colaborador e a sua performance

A parentalidade é um desafio de grande responsabilidade que exige profundas transformações e adaptações na vida dos pais, nomeadamente a conciliação de papéis. A introdução à parentalidade pode resultar num desequilíbrio sob a perspetiva de conflito de papéis conjugal, parental e laboral. A parentalidade pode diminuir o bem-estar generalizado do indivíduo, na medida em que interfere com a sua condição física, psicológica, emocional e financeira. É, portanto, necessário que os progenitores utilizem estratégias para conciliar o papel parental com o papel profissional, sendo que o enfoque das mesmas varia consoante o género parental. As estratégias de conciliação mais usadas são as de natureza familiar,. Contudo, é urgente que as organizações e a sociedade se responsabilizem e assumam uma intervenção mais ativa e promotora da natalidade. 

Casal a discutir com a filha no meio, simboliza os conflitos de papeis causados pela parentalidade

Impacto na Organização

A parentalidade simboliza um desafio, não só para os colaboradores, mas também para as organizações, uma vez que representa custos acrescidos. É necessário que haja uma adaptação do contexto laboral, de modo a otimizar o bem-estar e a produtividade dos colaboradores, sem que isso interfira com o normal funcionamento da organização. É importante perceber que parentalidade pode ser algo benéfico para o colaborador e para a organização, na medida em que a realização, satisfação e crescimento pessoal do colaborador irá acrescentar valor ao seu desempenho na organização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *