Assédio moral e sexual

O ambiente laboral e o bem-estar pessoal podem ser afetados por condutas abusivas que têm por base diferenças hierárquicas e de género

O assédio moral e sexual afetam o bem-estar e a produtividade dos colaboradores, uma vez que aumentam o conflito e potenciam um ambiente de trabalho adverso. O assédio moral é qualquer comportamento hostil, quer seja através de ações, palavras ou por escrito, que afeta a dignidade, bem-estar físico ou psicológico da pessoa e que causa deterioração no seu local de trabalho, prejudicando a sua posição na organização onde atua. O assédio sexual é bullying e coerção de natureza sexual, ou a promessa inapropriada de recompensas em troca de favores sexuais. A compreensão legal e social do assédio sexual varia de acordo com a cultura. O assédio sexual é uma forma de discriminação ilegal no local de trabalho em diversos países e uma forma de abuso. Para muitas organizações, prevenir o abuso sexual e defender os colaboradores de acusações relacionadas com abuso sexual tornou-se num dos objetivos chave para reduzir o risco.

trabalhador / empresário a ser assediado por múltiplas tarefas e múltiplos colegas, simboliza o assédio moral e sexual nas organizações

Impacto na Organização

Em Portugal, estima-se que 16,5% dos colaboradores já tenham sido alvo de assédio moral e 12,6% de assédio sexual no seu local de trabalho. Para estas vítimas, as consequências podem ser devastadoras e durar uma vida inteira: stress crónico, ansiedade, depressão, perturbações do sono, baixa autoestima, desinteresse pelo trabalho e falta de motivação. Estas consequências afetam negativamente a produtividade da pessoa, contribuindo para a perda de estatuto no seu contexto de trabalho. Na maioria das vezes, a baixa produtividade faz com que a pessoa sinta que merece as correções e os atos de violência de que é alvo, entrando num ciclo vicioso denominado por efeito “bola de neve”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *